Gado leiteiro - Inédito: conheça a leiteira Simlandês, cruzamento de Simental com Holandês
Notícias: Inédito: conheça a leiteira Simlandês, cruzamento de Simental com Holandês
 Tamanho das letras
Fonte: Blog do Tião.

Fonte: Blog do Tião.
Somente agora, depois de muitos anos, os criadores de simental, cuja origem é a Suíça, começam a divulgar melhor a capacidade leiteira da raça. Ela tem dupla aptidão, corte e leite, porém, no Brasil, o foco era dirigido para a carne.

Isso está mudando. Exemplo: cruzamentos genéticos desenvolvidos nos últimos oito anos por produtores do Paraná ligados ao Pool ABC (Arapoti/Batavo e Castrolanda), entidade que integra um grupo de cooperativas de sucesso no país, e formado por 754 sócios, identificou uma nova raça híbrida com alto potencial produtivo e econômico. É a Simlandês, formada a partir da combinação de genes de animais das raças Simental e Holandês, que foi apresentado oficialmente em setembro durante a Agroleite (Castro/PR), umas das principais feiras da pecuária leiteira.

E o trabalho de seleção vai de vento em popa, pois os resultados técnicos apresentados durante o evento vão reforçar o pedido de registro da raça junto ao Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O documento foi encaminhado pela Associação Brasileira de Criadores das Raças Simental e Simbrasil. Eu conheci bem o pecuarista Agostinho Caiado Fraga, do Espírito Santo, e um dos grandes responsáveis pela disseminação da qualidade da raça simental aqui no Brasil. Seu Agostinho era incansável. Eu me encontrava com ele em várias feiras agropecuárias pelo país.

Testes realizados em duas propriedades com controle de produção em animais em lactação demonstraram que as características da raça Simental em qualidade de leite são passadas com intensidade para as fêmeas F1 (vacas resultantes do cruzamento entre raças puras). As vacas em lactação mostraram boas porcentagens nos indicadores zootécnicos de efeito econômico: em média, o leite produzido obteve 3,98% de gordura, 3,45% de proteína e a lactose sempre acima da casa dos 4% com contagem de células somáticas (CCS) muito baixas, 65 CCS, o que indica uma excelente sanidade de úberes. A média da Cooperativa está próxima de 450 CCS, para se ter ideia.

“Isto indica que o leite da vaca Simlandês não perde em nada para a vaca Simental pura, e com produção média na primeira cria em torno de 35 litros/dia”, ressalta Luiz Geraldo Barreto Almeida, coordenador da Agroleite e um dos pesquisadores da nova raça.

A vaca F1 Sinlamdês mais velha na região de Carambeí, pertencente ao criador Alberto Reinaldo Los, é Tieta Von Morello. Ela tem sete anos de idade, está na quinta cria com o menor intervalo entre partos de 345 dias. “Isto mostra uma fertilidade muito boa. Essa vaca teve seu pico de lactação com 70 quilos de leite/dia”, destaca Alberto.

Esse cruzamento já é feito há 30 anos na Europa.

Qualifique
Escolha o número de estrelas para qualificar a notícia:
 

Você ainda não votou, média atual 5, número de votos 1.
Compartilhe
Comentários
Nenhum comentário cadastrado.
-
Ir para página de 0

Envie seu comentário,


Monitorar os comentários

Selecionando a caixa abaixo você poderá monitorar os comentários, ou seja, receberá no seu e-mail uma notificação toda vez que alguém inserir um novo comentário. (Esta funcionalidade é somente para usuários cadastrados no sistema, clique aqui para entrar)

Receber notificação de novos comentários:
Privacidade : Mapa do site : Programa de Afiliados : Serviços
Cursos | Palestras | Softwares | Notícias | Artigos | Entrevistas | Audiocasts | Chat | Fórum | Usuários | Currículos
Copyright © 2008-2014 IEPEC - O portal do agroconhecimento